Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

28 semanas (quase 29)

30.11.09 | Claudia Borralho

 

Cansada e a tomar 500000 suplementos.

A barriga está enorme por isso ouço muito os "deve estar mesmo quase", "hora pequenina", "são gémeos?".

Tenho extrema dificuldade em apanhar qualquer coisa do chão, os vestidos fazem par com calças porque os collants já foram arrumados de vez tal era a dificuldade da tarefa.

O mais velho anda impossível e não ajuda em nada a minha falta de mobilidade e paciência. Para tornar a coisa ainda mais colorida esteve a semana passada toda em casa a fazer antibiótico por causa duma treta qualquer que infectou e alastrou pelo resto da cara dele.

Não se pode dizer que estivesse doente, a energia estava regulada no máximo e deu comigo em doida com as birras constantes e o dia todo aos gritos e urros.

Mas claro que as birras e lutas constantes não foram só desta semana, vesti-lo só consigo com a sua colaboração... portanto quando não quer colaborar (99% das vezes) tenho sempre que me zangar muito, ir-me embora, esperar umas horas, enfim... O sair de casa para a escola é sempre outra aventura e pelos menos 50% das vezes tenho que o arrastar pelo chão até ao elevador e depois ainda se atira ao chão na rua. Ai!

Claro que também consegue ser um doce, mas estas lutas constantes dão cabo da minha paciência.

Hoje voltou finalmente para a escola, o dia até estava a correr bem, colaborou para vestir e nem fez fita com o antibiótico (que ele detesta e até já cuspiu todo). Quando chegou a altura de sair de casa para a escola passou em 2 segundos dum "weee para a escola!" para berrar e atirar-se ao chão. Zanguei-me muito, disse que assim já não tinha o cão de volta (tem vindo a "perder" brinquedos com as piores birras), ameacei com palmada, mas acabei por ter de o puxar pelo braço.

Já na escola agarrou-se às minhas pernas e desatou a berrar, lá o consegui descolar e foi-se sentar no chão ao pé dos outros meninos. Sempre a berrar e começou a bater nos outros meninos. Passei-me, levou um berro que não se bate nos meninos e vim-me embora esperançosa que aquilo lhe passe rápido e até se porte bem.

Não sei se já disse que ando muito cansada...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.