Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

Parto Orgásmico

26.06.08 | Claudia Borralho

Li este artigo ontem e acheio-o muito interessante.

Realmente porque é que as mulheres têm tanto medo do parto, tanto medo da dor?

Será que também entram numa relação sexual assim?

 

Eu entrei no meu trabalho de parto com a melhor disposição possível. Estava felicissima, excitada por estar a viver o meu trabalho de parto. É curioso que já praticamente não me lembro das (poucas) dores que tive.

Eu entrei no hospital com contracções de 3 em 3 minutos. Enquanto esperava na urgência andava dum lado para o outro para me ajudar a suportar a dor.

Eram umas 8h da manhã quando entrei no quarto para o que seria o início do meu trabalho de parto deitada (e garanto-vos que no futuro farei todos os possíveis para não o voltar a fazer). Daí até às 16h30 da tarde praticamente nem dei pelo tempo passar e eu não sou propriamente a pessoa mais paciente.

As contracções levaram-me para um mundo um pouco à parte e apesar de estar deitada, virada permanentemente para a esquerda e a ter de chamar constantemente as auxiliares para me ajudarem a fazer xixi para uma arrastadeira, a verdade é que eu nem acreditava quando me diziam que já tinham passado aquelas horas todas.

E agora só tenho boas memórias de todas aquelas horas com dor a acompanhar-me. Não me lembro de ter tido muitas dores, não me lembro do tempo custar a passar, só me lembro da felicidade que sentia.

 

O meu relato do parto está aqui.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.