Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

Desabafo

20.10.06 | Claudia Borralho
Porque nem tudo é bonito e florido, estas coisas também têm que ficar registadas.
Dores e mais dores nas costas. Sempre que estou sentada na minha secretária do trabalho. Imparáveis e sempre presentes.
Esta semana trabalhei dois dias em casa. Não sei se é da secretária ser mais alta, se o assento ser diferente, se me mexo mais, se estou em melhor posição ou se é da sesta que durmo quando chega a exaustão. A verdade é que os dias que estive em casa foram optimos, produzi mais em dois dias do que nos últimos dois meses, só no final do segundo dia é que senti uma pontinha de dor nas costas. Foi só isso uma pontinha. Nem chegou a incomodar.
Ontem já não me deixaram ficar em casa. Muitas dores nas costas. Idas à casa de banho para me estender no chão.
Hoje o dia não começou bem, e eu bem sei como o nosso estado de espírito pode influenciar estas coisas. As costas começaram a doer ainda de manhã. Só me apetecia chorar. Não propriamente das dores mas porque me fazem sentir incapaz.
À hora de almoço as lágrimas chegaram a cair. Escondidas atrás do computador a ver se ninguém nota. Experimentei mudar a posição do computador para ver se melhorava.
Nada. Tudo na mesma.
De tarde não fiz grande coisa, como aliás já é hábito... Quem consegue trabalhar com dores constantes? Contei os minutos até poder sair.
Quando finalmente cheguei a casa deitei-me a chorar. Nem conseguia parar. Palpita-me que ainda vão chegar mais crises de choro.
Segunda feira vou ficar a trabalhar em casa. A chefinha torceu muito o nariz mas lá disse que sim.
Sobre as dores nas costas a minha médica para já disse-me para aguentar, que ainda vão ficar piores à medida que a barriga cresce e o centro de gravidade muda. Sugeriu que experimentasse uma almofada no trabalho.
Já experimentei. Primeiro trouxe uma almofada de casa, era muito grande, nem espaço sobrava para me sentar. Depois fui comprar uma almofada pequenita. Incomoda-me mais a almofada do que não ter lá nada.
Também acho que no meu caso a cinta ou cinto não deve resolver nada. É suposto ajudar a suportar o peso da barriga e as minhas dores nas costas, para já não devem ser devidas a isso. A barriga já se nota mas ainda é bem pequenina, e eu desde as 5 semanas que me doem as costas...

10 comentários

Comentar post