Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

mãe em casa

28.09.05 | Claudia Borralho
Confesso que cada vez mais tenho a ideia de vir a ser uma "stay at home mum". As vantagens para as crianças são inúmeras. Poderia preparar-lhes todas as refeições, estar mais tempo com eles, ir buscá-los à escola, fazer actividades extra, dedicar-me aos meus hobbies e até poderia ter um trabalho part-time para uns trocos extra.
O inverso significa estar muito pouco tempo com os filhos, chegar a casa cansada e sem paciência, tudo para um mísero ordenado que provavelmente servirá na íntegra para pagar os infantários e as escolas que entretêm os filhos enquanto estamos a trabalhar para pagar o dito infantário... enfim, uma verdadeira bola de neve.
É óbvio que no caso de só um filho, realmente ainda sobra algum dinheiro para ajudar à economia familiar (continuamos é com o chegar tarde e cansados), mas com dois ou mais já acabaria a gastar mais com os infantários e atls do que o que ganharia.
Mas e depois quando os filhos crescem? Será possível um regresso à "vida activa"?

Mensalidade média

Sendo impossível estimar um valor médio dadas as diferentes premissas, poderemos considerar que, para que o seu filho frequente um infantário razoável numa das principais cidades ou na sua periferia, terá de suportar um valor que pode oscilar entre 260 e 400 euros.


http://bebe.sapo.pt/Xz655/528877%20.html



PS. A minha mãe nunca ficou em casa, aliás até sempre trabalhou em dois sítios diferentes para poder pagar entre outras coisas a mensalidade do colégio onde eu andava. Se por um lado não me lembro de ter sentido a sua falta, a verdade é que também nunca me senti muito próxima dela, existindo um grande afastamento entre nós, particularmente durante todos aqueles anos "teenager".

1 comentário

Comentar post