Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

este post tem cocó

21.06.18 | Claudia Borralho

IMG_20180621_084828.jpg

 

Ontem a minha bola de pelo fofinha em forma de gato pregou-me um susto do caraças.

Apanhei-o a correr pela casa com um enorme pedaço de fio.

O fio cheirava a cocó. Aquela quantidade enorme de fio estava a sair-lhe do rabo.

Os gatos cá de casa têm um gosto especial por comer fios, linhas e afins. Nenhum dos meus gatos anteriores tinha esta mania.

A Shanti tem um gosto especial por restos de tecidos e linhas. Volta e meia vejo-a passar com um retalhinho de tecido pela boca.

Fios e linhas são particularmente perigosos para gatos. Podem criar uma obstrução no intestino, enrolar-se à volta do intestino, etc.

Quando apanho algum deles a roer nalguma especie de linha retiro o objecto. Mesmo assim estão sempre a encontrar e descobrir fios para roer.

E agora o Ninja tinha metros de fio a sair-lhe do rabo.

Apanhei-o e puxei um bocadinho. Ele queixou-se e eu larguei. Ainda por cima estava de saída para reunir com os escoteiros. Não ia deixá-lo com tanta linha a sair do rabo, ainda se punha a comer de novo a linha ou a Shanti a brincar com aquilo. Peguei numa tesoura e cortei perto do buraco.

Lá fui eu a fazer quinhentos filmes na cabeça, a planear a ida ao Veterinário e a pesquisar todos os artigos do Google sobre "string from my cat's butthole".

Quando regressei o Ninja tinha ainda mais fio a sair-lhe do rabo. Voltei a cortar e lá andei a lavar o chão, a banheira e todos is locais com vestigios de cocó.

O meu peludo de vez em quando soltava um miado, corria para a caixa de areia ou para a banheira e depois eu cortava mais um pedaço de fio. Afinal que quantidade de fio ele teria comido?

Sem ser o fio a sair-lhe do rabo o Ninja aparentava estar absolutamente normal. Lambia afincadamente o rabiosque, comia e bebia e até tentou apanhar uma mosca.

Alguns artigos do Google falavam em dar laxativos para ajudar a passar. O mais parecido que tenho é a pasta para bolas de pelo. Dei-lhe uma quantidade generosa que ele comeu todo lambuzado do meu dedo.

De manhã o Ninja não estava na cama comigo como é habitual. Levantei-me cheia de medo do que me esperaria mas vejo logo o Ninja a vir ter comigo.

Estava todo limpinho e sem fio a sair do rabo. Ok... Tinha na banheira um belo cocó com mais uma quantidade consideravel de fio. Assim fio e a terminar em cocó normal.

De resto tudo normal. A ver vamos.

 

sacos reutilizáveis para fruta e vegetais

19.06.18 | Claudia Borralho

E porque não fazer os nossos próprios saquinhos para comprar frutas e vegetais?

 

IMG_20180618_125641.jpg

 

Para sacos "transparentes" o ideal será utilizar algum tipo de tule ou mesh ou porque não fazer daqueles antigos sacos em macramé? Ou até em crochet :)

Eu optei por utilizar tule, não será o mais resistente mas eu tenho imensas sobras de tule e este é o projecto perfeito para as aproveitar.

 

IMG_20180618_125730.jpg

 

Utilizei pedaços de tule com cerca de 80cmX30cm. Não me preocupei em cortar os tecidos direitos ou se as dimensões eram exactas. O objectivo era aproveitar sobras de material para objectos uteis e não ocupar muito tempo a fazê-lo. Em 30min fiz 4 sacos e ainda tirei fotos :)

 

IMG_20180618_125700.jpg

 

Basta dobrarem o tecido ao meio e costurar as laterais, este tipo de material não esfia por isso nem sequer será necessário chulear ou fazer uma costura francesa. Lembrem-se que o objectivo é ter algo útil e não gastar muito tempo. Numa das laterais deixar um pequeno espaço em cima por costurar com mais ou menos 2cm (ou, por exemplo, o comprimento do calcador). Esta será a abertura para passar o nosso cordão.

Fazer dobra em cima e costurar. Com a ajuda de um alfinete com fecho passar o cordão. E pronto! Prontas para ir às compras!

 

IMG_20180618_125618.jpg

IMG_20180618_125529.jpg

 

PS. Cada saco está a pesar cerca de 6gr. Caso o peso do saco seja considerável podemos sempre pesar os alimentos e só depois colocar no saco.

 

food for tought

18.06.18 | Claudia Borralho

5rs.png

Esta imagem é do livro "Zero Waste Home" (Desperdicio Zero)*. Passamos dos 3 R's para 5 R's. E realmente aquele primeiro R é importantissimo. Recusar! Não comprar mais isto e mais aquilo.

 

E é provavelmente o mais difícil de todos. Vivemos numa sociedade consumista, fomos sendo ensinados para o descartável, estragou? compra um novo! A todo o momento somos bombardeados com mensagens de compra! Compra! COMPRA!!!! E queremos dizer sim. Está no nosso instinto dizer sim.

 

Vamos recusar. Bora?

 

*O livro em versão digital

Kidding Around Yoga

18.06.18 | Claudia Borralho

IMG_20180422_171022.jpg

 

No final de abril fui ao Porto fazer uma segunda certificação em yoga kids, desta vez no método Kidding Around Yoga.

É um método que já conhecia por já ter feito uma formação com eles - a PreKAY e sempre adorei a sua base de música. No entanto, todas as músicas são em inglês e parecia-me complicado a adaptação.

 

A barreira da língua realmente existe, mas apesar de tudo a reação dos miúdos ao novo outline das aulas tem sido absolutamente fantástico. E tem sido um pouco tentativa e erro - há musicas que funcionam muito bem e outras que são um autêntico flop. E depois vem a surpresa de músicas que foram um flop e os miúdos aparecem nas aulas a cantar e a fazer as coreografias :)

 

O propósito das aulas KAY é fazer com que os miúdos saiam da aula a flutuar :) Divertidos, relaxados, meditados, calmos. Em ananda.

IMG_20180526_121531.jpg

 

A maior parte das pessoas vê a prática de yoga como um desporto (os asanas - posturas), mas yoga é muito mais do que isso. Podemos até dizer que yoga é um estilo de vida.

Existem 8 ramos no yoga, os asanas são o terceiro e o objectivo final é chegar ao oitavo - Samadhi.

" In samādhi the mind becomes still. It is a state of being totally aware of the present moment; a one-pointedness of mind."

IMG_20180614_115605.jpg

 

E sim, nas aulas yoga kids trabalhamos os 8 ramos, deixamos as sementes para um crescimento mais focado. Crianças mais calmas, mais seguras, aceitação.

 

Pág. 1/6