Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

si muove

09.05.13 | Claudia Borralho

Na consulta já me perguntaram se a criatura se move (vá se já a sinto a mexer que ela mexe-se já há bastante tempo).
Pois que não posso dizer com certeza. E isto é estranho.

 

Na primeira eu soube que era ele a mexer-se (estavamos nas 18 semanas). Na segunda só podia ser ela, embora fosse estranho sentir toda a minha barriga a dar um pulo (estavamos nas 16 semanas).

Agora para ser sincera eu sei que o sinto a mexer, já o sinto há imenso tempo (14 ou menos semanas). Mas primeiro, apesar de sentir que era a criatura, era tão cedo que se calhar não podia ser a criatura. Depois, apesar de sentir um ligeiro aumento na força da mexidela é tão ligeiro que se calhar não é a criatura. E finalmente, são ainda tão raros os movimentos que eu não deixo de me preocupar que algo se passa com a criatura. Para dentro digo que é um bicharoco mais calmo que os irmãos (eu já merecia, mas não acredito), para fora digo que não sei se já se mexe.
E ficamos assim.

18 semanas

09.05.13 | Claudia Borralho

Em plenos 4 meses e quase a chegar ao meio caminho.
Ando exausta. Tenho 1000 coisas para fazer e não consigo chegar a todo lado. E ao mesmo tempo o stress de arrumar a arrecadação, para poder arrumar o escritório e criar a secretária para o Gabriel vir a fazer os trabalhos de casa e preparar o quarto dos miudos para um terceiro detentor de roupas e mais roupas. É que com a barriga a crescer eu não posso esperar mais, é fazer agora enquanto ainda me consigo mexer. Mas estou exausta.

 

Do pneumologista voltei com uma pequena farmácia. Há o Pulmicort nasal Aqua que tenho MESMO de tomar todos os dias, e mais o SOS da rinite, e mais o SOS da pieira e mais o SOS do SOS da pieira. E eu que julgava nem ir tocar em nada destas coisas tive logo direito a usar o SOS da pieira umas quantas vezes logo nos dias seguintes. Mas já sei porquê - aquela arrecadação tem pó e mais pó e mais pó (e ácaros e mais ácaros e mais ácaros), enfim, já disse que tenho que aproveitar agora para arrumar senão depois já não dá não é? A Dra MCS sugeriu-me usar uma fralda branquinha a fazer de mascara que é para eu ver bem no fim a quantidade de porcaria ingerida...

 

E entretanto decidimos que só vamos conhecer os genitais da criatura da barriga quando nascer. Vai ser muito bom poder ter esta surpresa estando já preparada para todas as eventualidades :) A Avó M. anda chateadissima com isto. E todas as outras pessoas agora que lhes passou a onda do ai que coragem e tralalas lá têm de ficar desapontadas sempre que digo que não sabemos o sexo nem vamos saber.

 

E também ando cheia de medo da próxima cesariana. Eu não quero fazer outra cesariana... mas sei que não tenho grande alternativa (e escusam de vir todas as grandes adeptas do parto natural e do empowerment da mulher dizer que tenho alternativa que posso fazer assim e assado porque se há aqui alguém que conhece bem tudo isso sou eu).

 

Nunca cheguei aqui a falar do parto da Oriana. Estava com diabetes gestacionais e a chegar ao fim do tempo, mas entre as 38 e as 39 semanas a rapariga resolveu deixar de estar encaixada e subir subir. Devido ao risco acrescido de morte in utero e o facto da rapariga ser grandinha quando comparada com a pélvis da mãe optou-se pela cesariana electiva. A epidural custou-me horrores, mas o parto em si foi optimo com o pai ao meu lado, não tive os tremores da outra vez e pude amamentar logo a pequenota. Sentia-me maravilhosamente. Mas depois no dia 2 foi horrivel. Vieram mudar-nos de quarto, esqueceram-se das minhas refeições e estive o dia todo com dores horrendas. Tão horrendas que não conseguia acreditar como haviam mulheres que escolhiam fazer cesariana. Espera... tu decidiste isto!
Pois... mas agora não quero nada passar por aquilo outra vez. Falei com a médica e obviamente que ela não me pode dizer que não volta a acontecer, ficou combinado que tenho de pedir todas as drogas a que tiver direito. Mas da outra vez também me queixei e as belas das enfermeiras lá me dizem que são os gases e para andar. Para a próxima digo-lhes que já sei muito bem que são gases e se querem que ande que me dêem drogas!

6!

09.05.13 | Claudia Borralho



Já foi a 25/4, mas mais vale tarde que nunca.

É um menino muito doce, que não se cansa de me dar beijinhos na barriga mas também muito respondão e com a mania de gritar. Ai. Enfim as mudanças na rotina familiar também não têm ajudado.
Anda entusiasmado com a chegada da primária e o novo mano(a).