Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a preparar-me mentalmente

28.02.05 | Claudia Borralho
para o mês complicado que aí vem. Ando praticamente a tomar calmantes virtuais, a tentar lembrar-me de respirar fundo e sorrir antes de dizer o que quer que seja. Graças às ideias brilhantes de mais um "chefe iluminado" vou passar o próximo mês a trabalhar exclusivamente para os comerciais, enquanto o meu mais recente projecto bebé, que até já recebeu uma série de optimas críticas, terá de ser abandonado à porta da igreja e adoptado por alguém que para já não faz a mínima do que é aquilo!!! Estou com muito medo do meu mau feitio. Respirem comigo...

não gosto de vento

28.02.05 | Claudia Borralho
Gosto da brisa, gosto de ventos quentes no verão e gosto de sentir o ar frio da velocidade. Mas daquele vento mais forte, ventania, ar gelado... esse detesto!
Hoje foi dia de mar revolto, ou melhor, rio revolto e tudo por causa do vento! Nunca em quase um ano de travessias de barco fiz uma viagem assim. Lembro-me das travessias complicadas em outubro durante aquele período de mau tempo, mas nunca nada assim! Hoje o vento e o rio quase transformaram o barco num submarino. A ciganada toda no seu estilo habitual de "over emotion" já gritava por bóias ;) Não cheguei a ter medo, mas nunca tricotei canelado tão depressa! E é óbvio que quando cheguei a lisboa já não me surpreendeu aquele vento forte e gelado!

É o acaso que traz as pessoas à nossa vida, mas não é um acaso que faz com que permaneçam

28.02.05 | Claudia Borralho
Acordei a ouvir isto e lembrei-me logo de ti. Importante para todos aqueles que fazem parte da minha vida, mas principalmente para ti porque é óbvio que não é um acaso o que nos manteve juntos durante estes últimos anos. Tinhamos tudo para ir cada um para o seu lado da corrente e afinal tivemos sempre um fio, uma corda muito forte a ligar um ao outro.
Mas não gosto desta ideia do acaso... parte de mim prefere acreditar em destino.

Este blog está a ficar muito lamechas... hummm pois acontece! ;)

weekend

28.02.05 | Claudia Borralho
Frango assado, coupling e tu. Um encontro de tricot com muito pouca gente e uma data de franceses a gritar "allez" (fiquei mesmo chateada por o papel do jogo ter sido afixado depois de lá termos ido...). Um jantar de canelonis só para ti. A mãe já tirou as ligaduras e pode tomar duche outra vez :). Tu falas de auto-mutilação enquanto te ris e dizem que te estão a levar para as urgências. Muita preocupação e muito zangada contigo. Afinal era mesmo só um cortezinho. O mais divertido é que vais aguentar uma semana a ouvir "O que é que andaste a fazer co dedo?". Volto a sorrir e gosto muito de vê-los a eles outra vez. Jantamos no indiano e eu adoro o mango kulfi, quando é que lá voltamos? Finalmente, volto a estar com ela para ver o simba e constatar mais uma vez que o mundo é mesmo muito pequeno.

PS. Já sei que daqui por uns anos vou ler esta posta e não vou perceber nada! ;)