Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

tempo de balanço

26.12.04 | Claudia Borralho
2004 não foi um grande ano, começou com um mega acidente de carro seguido de vários meses de depressão. Foi um ano muito difícil. Também teve os seus bons momentos, voltei a ter a Sandra mais próxima, conheci pessoas fantásticas como a Lénia e a Sofia e o Ricardo também, que me irrita solenemente mas apesar de tudo é uma pessoa fantástica e muito paciente (totalmente egocêntrico mas isso é outra história). Foi o ano em que surgiram os woollys, os meus bonequinhos de tricot. E foi o ano que marcou o início dos encontros de tricot.
Para o próximo ano gostava que acontecessem duas coisas: a primeira é a mais importante, quero ser uma pessoa melhor, deixar para trás o mau feitio e deixar de ser mázinha para todos os que estão mais próximos de mim. A segunda... eu gostava muito, mesmo muito de encontrar a minha metade, claro que isto é só o meu lado romântico a falar, o lado realista sabe que isso não vai acontecer. Antes que chovam os comentários deixem-me explicar: a verdade é que não ando à procura de ninguém, não quero, nem estou preparada para tal, para já tenho demasiado medo da dor e da desilusão e isso não vai desaparecer assim tão rapidamente. Depois há ainda o lado mais pratico da coisa... tipo onde é que se conhece a nossa metade, certamente não é em casa a ver os ídolos (se bem que aquele andré está cada vez mais sexy !ah suspiro!) e também não me parece que seja no barco entre o Montijo e o Terreiro do Paço. Não é que eu me sinta infeliz, pelo contrário, eu sinto-me bem e feliz 60% do tempo e depois nos outros 40% chega uma certa sensação de solidão, de que algo falta. Se calhar preciso de terapia, mas acho que prefiro escrever aqui a falar sozinha deitada num sofá.
Passei toda a minha infância e adolescência adiantada um ano. Terminei o bacharelato com 20 anos, não sei para onde foi aquele ano que eu tinha de avanço, sinto que estou atrasada agora (mas já não tenho controlo para fazer acontecer o que quero).
Tristezas à parte, 2005 vai ser um grande ano, e eu sei isso porque vai ser o ano do nascimento da Marta e da Beatriz e ainda do filhote da Claudia (continuo a achar que vem ai um rapaz).

voltas da vida

26.12.04 | Claudia Borralho
já não sei bem como comecei a ler esta menina aqui, também não sei porquê achei que ela devia ter um dos meus bonecos e enviei-lhe um mail a dizer que lhe queria oferecer um. Estavamos a combinar como lhe entregava quando descobrimos que afinal tinhamos andado na mesma turma na primária :) Ela está exactamente na mesma, a verdade é que eu acho que olhamos nos olhos uma da outra e ambas vimos as meninas de 8 anos que brincavam no recreio. Ela casou e tem uma menina linda de 3 anos. Adorei aquela menina, e adorei fazer-lhe bonecos de plasticina, só espero que ela goste do embrulho que ficou lá na árvore. E a "menina de 8 anos" essa espero vê-la já no próximo encontro de tricot, pois é... mais uma que se converteu!