Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

a vidinha como ela é

(e uma mãe que mete a mão em tudo) por Claudia Borralho

Gestos simples

23.01.04 | Claudia Borralho
Quando vou no autocarro gosto de observar as pessoas. Aquele rapaz bem bonito com os seus 20 anos a caminho da faculdade, a senhora de mais idade com o neto falador, a rapariga loura que de uma forma algo subtil está em pânico por causa de uma abelha e até os bandos de raparigas adolescentes que falam das aulas, de rapazes, das discussões com os professores e as colegas rivais, sempre com a segurança de alguém que acha que já sabe tudo!

Mas também gosto de espreitar para dentro dos carros, usar e abusar daquela situação privilegiada de olhar de cima, o senhor que tira macacos do nariz porque acha que ninguém está a olhar para ele, um casal que discute e outro que mais uns minutos e já colocamos uma bolinha vermelha no canto superior direito, as crianças no banco detrás, os cães com a cabeça de fora.

Ontem fui surpreendida por algo delicioso, estava eu a espreitar cá para baixo quando de repente vejo um rapaz a olhar para cima e a fazer adeus. E foi delicioso porque não era daqueles adeus para alguém que se conhece... era um adeus para mim, assim tipo como os que as crianças fazem quando vão sentadas no banco detrás da carrinha para a praia :)
Eu sorri, e ele sorriu de volta, e eu fui muito mais bem disposta para o trabalho.
Porque é que gestos simples, como sorrir a um estranho são tão raros hoje em dia? Às vezes até parece que são proibidos, mas ainda não se paga imposto para sorrir, pois não?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.