Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claudia Borralho

A VIDINHA COMO ELA É (e uma mãe que mete a mão em tudo)

Claudia Borralho

A VIDINHA COMO ELA É (e uma mãe que mete a mão em tudo)

O parto

O meu último parto foi muito bom.

Não chegamos muito cedo ao hospital. Queriamos que o dia dos miudos fosse o mais normal possivel, por isso foram para a escola à hora do costume e depois então lá fomos para o hospital.

Não estava a contar que fosse tão demorado conhecermos finalmente quem morava na minha barriga. Mas entramos pela urgência e ainda foi preciso fazer umas análises e esperar pelos resultados.

Na espera ainda tive direito a mais moinhas e cólica renal, tanto que já andava a ficar preocupada se não teria para aqui uma infecção no rim.

As horas passavam e já não dava para ser o pai a ir buscar os meninos à escola, já passava das 15h quando fui para o bloco.

O médico anestesista foi fantástico, desta vez já não foi o mesmo das outras vezes. A epidural não custou nada e foi dada comigo sentada na marquesa o que facilitou imenso. E depois o médico saca do iphone e bora lá escolher umas músicas para ouvir. Lol não tinha os meus discos pedidos (Bruno Mars ou Maroon 5) mas acabou por colocar a banda sonora do Moulin Rouge o que me pareceu perfeito.

Quando dei por isso já me tinham começado a cortar, desta vez levou muito mais tempo. À terceira cesariana já há muito tecido extra para cortar de todas as vezes que foi suturado e cicatrizou.

O anestesista baixou o pano e a médica estava a puxar o bebé para fora. Foi lindo, nunca me tinham deixado ver esta parte. E depois era tudo a perguntar: então é menino ou menina??? Esperem que ainda não dá para ver, ainda por cima vem com o cordão no meio das pernas! É menina!!! É a Laura! A Laura chegou às 15h44 do dia 2 de Outubro.

O pai foi com a bebé e lá me ficaram a costurar de volta. Ainda ma vieram mostrar já vestidinha :) Toda branquinha, completamente cheia de vernix. Os mais velhos não tinham assim tanto, até perguntei se seria moda agora não os limparem, mas parece que não, simplesmente há bebés que vêm com mais vernix que outros.

A médica ainda me comentou que tiramos a bicharoca mesmo na altura certa, o útero estava super fino, parecia uma folha de papel. Um cortezinho e já lá estava a bebé!

No recobro tinha o pai e a bebé à minha espera, veio logo mamar, com algumas dificuldades na pega, mas depois de agarrar foi chuchona, chuchona. E ainda foi a mamoca do outro lado.

É curioso que nunca vi grandes semelhanças entre o gabriel e a oriana bebés, mas a laura nasceu igualzinha ao mano grande e pouco depois comecei a notar-lhe tambem grandes semelhanças com a oriana quando nasceu :)

 

18 semanas

Em plenos 4 meses e quase a chegar ao meio caminho.
Ando exausta. Tenho 1000 coisas para fazer e não consigo chegar a todo lado. E ao mesmo tempo o stress de arrumar a arrecadação, para poder arrumar o escritório e criar a secretária para o Gabriel vir a fazer os trabalhos de casa e preparar o quarto dos miudos para um terceiro detentor de roupas e mais roupas. É que com a barriga a crescer eu não posso esperar mais, é fazer agora enquanto ainda me consigo mexer. Mas estou exausta.

 

Do pneumologista voltei com uma pequena farmácia. Há o Pulmicort nasal Aqua que tenho MESMO de tomar todos os dias, e mais o SOS da rinite, e mais o SOS da pieira e mais o SOS do SOS da pieira. E eu que julgava nem ir tocar em nada destas coisas tive logo direito a usar o SOS da pieira umas quantas vezes logo nos dias seguintes. Mas já sei porquê - aquela arrecadação tem pó e mais pó e mais pó (e ácaros e mais ácaros e mais ácaros), enfim, já disse que tenho que aproveitar agora para arrumar senão depois já não dá não é? A Dra MCS sugeriu-me usar uma fralda branquinha a fazer de mascara que é para eu ver bem no fim a quantidade de porcaria ingerida...

 

E entretanto decidimos que só vamos conhecer os genitais da criatura da barriga quando nascer. Vai ser muito bom poder ter esta surpresa estando já preparada para todas as eventualidades :) A Avó M. anda chateadissima com isto. E todas as outras pessoas agora que lhes passou a onda do ai que coragem e tralalas lá têm de ficar desapontadas sempre que digo que não sabemos o sexo nem vamos saber.

 

E também ando cheia de medo da próxima cesariana. Eu não quero fazer outra cesariana... mas sei que não tenho grande alternativa (e escusam de vir todas as grandes adeptas do parto natural e do empowerment da mulher dizer que tenho alternativa que posso fazer assim e assado porque se há aqui alguém que conhece bem tudo isso sou eu).

 

Nunca cheguei aqui a falar do parto da Oriana. Estava com diabetes gestacionais e a chegar ao fim do tempo, mas entre as 38 e as 39 semanas a rapariga resolveu deixar de estar encaixada e subir subir. Devido ao risco acrescido de morte in utero e o facto da rapariga ser grandinha quando comparada com a pélvis da mãe optou-se pela cesariana electiva. A epidural custou-me horrores, mas o parto em si foi optimo com o pai ao meu lado, não tive os tremores da outra vez e pude amamentar logo a pequenota. Sentia-me maravilhosamente. Mas depois no dia 2 foi horrivel. Vieram mudar-nos de quarto, esqueceram-se das minhas refeições e estive o dia todo com dores horrendas. Tão horrendas que não conseguia acreditar como haviam mulheres que escolhiam fazer cesariana. Espera... tu decidiste isto!
Pois... mas agora não quero nada passar por aquilo outra vez. Falei com a médica e obviamente que ela não me pode dizer que não volta a acontecer, ficou combinado que tenho de pedir todas as drogas a que tiver direito. Mas da outra vez também me queixei e as belas das enfermeiras lá me dizem que são os gases e para andar. Para a próxima digo-lhes que já sei muito bem que são gases e se querem que ande que me dêem drogas!

Agora a quatro*

Achei que sendo cesariana partilharmos o dia de aniversário seria uma óptima ideia, e foi assim que no dia do meu 33º aniversário recebi a melhor prenda do mundo.

 

 

Desde o primeiro momento que aparenta ser muito tranquila, quase nem a ouvimos chorar. Mas depois logo na primeira noite veio a tempestade sobre a forma de cólicas e mais cólicas. Passou as suas primeiras noites a levar com sondas pelo rabiosque acima e a ser espremida de todas as maneiras possíveis para aliviar a gazada.

Agora já parece estar muito melhor, aliás está aqui comigo no sling a esbodegar-se maravilhosamente. Passamos a ser daqueles pais cuja melhor coisa do mundo são arrotos, puns e cagadas bem grandes.

 

Onde gosta mais de dormir é ao colinho da mãe, só da mãe. Quando nasceu ficou acordada imenso tempo, de olho bem aberto a admirar tudo à volta. Quando se começou a chatear, seria o arrotinho, seria fome? Nope, era saudades da mãe e adormeceu de cara enroscada na mamoca da mãe.

Ainda agora o pai fica um bocadinho triste, ela berra berra e basta vir para o meu colo para se acalmar instantaneamente. Com o Gabriel era o pai que o adormecia e acalmava, a Oriana só quer a mamã.

 

 

A amamentação corre super bem, logo começando pelo facto de não ter ficado toda a tremer nem imobilizada pela anestesia no pós-cesariana. Assim, sai do bloco a enfermeira parou em frente do berçário e a bichinha veio logo comigo para o recobro. Chegou e mamou logo :) Maravilha! E com uma semana já tinha quase recuperado o peso na totalidade.

 

Coisas que aprendi entretanto:

É suposto os bebés mamarem quando e o que quiserem até largarem sozinhos a mama, mas isso não quer dizer que já não queiram mamar mais ou que a mama esteja vazia. Às vezes precisam simplesmente de uma pausa para arrotar. Eu volto a oferecer a mesma mama até ela não querer mamar mais ou perceber que está completamente vazia (a mama até está seca dentro da boca dela).

A melhor posição para arrotar é sentados com a cabeça a pender para a frente, ou seja, com o queixo a tocar no peito. Tem a ver com a posição da traqueia.

Uma sonda para lactentes pode ser a nossa melhor amiga (à venda na farmácia, cada uma cerca de 50 cênt.).

Choro de fome - um á um á um á

Choro de cólicas - êêê êêê (gritado)

Choro de sono - ááá ááá

 

O mano grande tem uma paixão assolapada pela mana :) E ela não se incomoda minimamente com as gritarias e muitas festinhas que ele lhe faz. Coração de mãe cheio e iluminado.

 

 

 

* ou a seis, se contar com os gatos

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2003
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D